Pela Paz no Tibet

Queridos amigos,

Em menos de uma semana já conseguimos mais de 400,000 assinaturas para a petição apoiando o Dalai Lama em um chamado por diálogo e direitos humanos no Tibet! Essa é uma reação extraordinária da sociedade civil global, demonstrando sua solidariedade pelo povo tibetano. Se cada um de nós pedir para 4 outros amigos assinarem a petição, atingiremos 1 milhão ainda essa semana!

Frustrados com décadas de ocupação chinesa, os tibetanos tomaram as ruas. Peça para a China respeitar os direitos humanos dos manifestantes e abra um diálogo com o Dalai Lama:

Assine a petição!
link:
http://www.avaaz.org/po/tibet_end_the_violence/26.php?cl=65453927

www.uol.com.br – 18/03/2008 – 07h34
Dalai-lama afirma que situação escapa de seu controle e ameaça renunciar

DHARAMSALA, Índia, 18 Mar 2008 (AFP) – O dalai-lama afirmou nesta terça-feira que a situação no Tibete escapa de seu controle e ameaçou renunciar à função de líder espiritual dos tibetanos se a situação no território piorar, em uma entrevista coletiva em Dharamshala (norte da Índia), onde vive exilado desde 1959.

“Se as coisas escaparem do controle, a opção é renunciar”, declarou à imprensa, lembrando que já havia feito a promessa de deixar o posto durante ondas de violência precedentes.

“Este movimento escapa do nosso controle”, acrescentou.

O dalai-lama disse ainda não estar em condições de dizer aos tibetanos que vivem sob o regime chinês que “façam isto ou aquilo”.

A China afirmou nesta terça-feira ter provas de que as revoltas em Lhasa na semana passada foram “estimuladas e organizadas pelo grupo do dalai-lama” e pediu mais uma vez que o líder espiritual renuncie à independência do Tibete.

“Temos as provas, e os fatos demonstraram que estes incidentes foram estimulados e organizados pelo grupo do dalai-lama”, afirmou o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao.

Em um sinal de aparente abertura, o líder tibetano convidou as autoridades chinesas para uma reunião com ele para investigar as acusações.

“Venham, por favor, investiguem os fatos. Os chineses podem vir e inspecionar tudo”, disse.

Na mesma entrevista, o dalai-lama, 72 anos, afirmou que chineses e tibetanos devem viver “lado a lado” e descartou nesta terça-feira incluir na agenda de eventuais discussões com a China a reivindicação de independência do Tibete.

“Temos que construir boas relações com os chineses”, disse o líder espiritual do budismo tibetano à imprensa em Dharamsala.

“A respeito da violência, é algo ruim. Não devemos desenvolver sentimentos antichineses. Temos que viver juntos, lado a lado”, acrescentou.

“A independência é algo fora de discussão”, completou.

O dalai-lama adotou a visão, chamada de intermediária, que consiste em pedir uma simples autonomia cultural para o Tibete.

“Não cometam atos de violencia, é ruim. A violência é contrária à natureza humana. A violência é quase um suicídio. Mesmo que mil tibetanos sacrifiquem suas vida, não servirá para nada”, declarou.

“Se as paixões se acalmarem dos dois lados, poderemos trabalhar”, concluiu.

A revolta em Lhasa contra a presença chinesa no Tibete deixou 13 mortos desde sexta-feira, segundo o balanço oficial de Pequim. Os tibetanos no exílio falam de 100 mortes.

 

SOBRE O DALAI LAMA

Tenzin Gyatso, Tenzin Gyatso, monge e doutor em filosofia budista, Prêmio Nobel da Paz, agraciado com mais de 100 títulos honoris causa, líder e mentor do povo tibetano, 14º Dalai Lama, é uma das vozes mais lúcidas e comprometidas com a paz, o diálogo e a compaixão no cenário mundial contemporâneo.

Pesquisador infatigável, abriu as portas para o encontro da ciência com a espiritualidade quando, em 1987, reuniu-se durante uma semana com cinco cientistas ocidentais para debater a proximidade entre o budismo e as ciências cognitivas. A partir dali criaram-se centros e fóruns internacionais onde a experiências espiritual é estudada e acolhida como aspiração genuína de um saber que revela novos espaços de consciência e expressão.

Cidadão planetário, manifesta especial interesse pelas pontes, articulações, sinapses, desafiando ortodoxias que retardam o exercício da vocação humana para o cuidado mútuo, a convivialidade e a cooperação. Nesse sentido apela para que cada um de nós aprenda a trabalhar em benefício não só de si próprio sua família ou nação, mas em prol da humanidade como um todo.

A responsabilidade é a chave para a sobrevivência do humano e é a melhor garantia para implementar os valores universais e a paz.

“A compaixão é um poder. Cultive-a.”
(Dalai Lama)

Fonte: http://www.dalailama.org.br/home/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: